Um homem dirige-se a uma casa de putas e pede uma puta das baratas porque só tinha 10 €. Lá foi para o quarto e quando lá chegou a puta já estava deitada. Começou-a a fodê-la e depois de se vir olhou para a cara dela e reparou que se estava a espumar pela boca. Preocupado vai todo nu até à recepção e diz à senhora que a puta estava a espumar-se toda e a mulher vira-se para o marido:

- Manel vai esvaziar o cadáver que já está cheio.

 

 

Estão duas putas dentro de um elevador, e uma diz para a outra:

- É pá cheira-me a caralho?

Diz a outra:

- Não te preocupes fui eu que arrotei.

 

 

A professora pede aos alunos que façam uma redacção sobre sexo como trabalho de casa. No outro dia, depois de todos terem lido, foi a vez do menino Pedrinho ler a sua. Começava assim: "Era uma vez um tipo chamado McHoi, que comprou uma pistola e foi viajar pelo deserto. Viu um cão e matou-o, mais à frente viu um homem e matou-o também, continuou, viu duas senhoras e deu-lhes dois tiros...

- Pare menino Pedrinho - retorquiu a professora - a redacção era sobre sexo e a sua não fala disso.

Diz o menino Pedrinho:

- Fala sim, Sr.ª professora, porque o McHoi era um tipo muita fodido!

 

 

A professora pede para o menino Nelinho ler o poema que tinha feito em casa.

- A Madona leva na cona!

- Menino! Que falta de educação, agora de castigo vai fazer outro poema para amanha, e espero que venha sem asneiras. No dia seguinte:

- Menino Nelinho! Leia o seu poema.

- A Madona leva na ameixa porque na cona a professora não deixa.

 

 

Mãezita! Pede à avó para me pôr a fazer xixi…

- Não é preciso filho, eu ponho.

- Não! Eu quero a avozinha!

- Mas porque? Não é a mesma coisa?

- Não, a mão da avó treme muito mais…

 

 

Um casal de velhos estavam a ouvir um religioso que pelo rádio dizia:

- Coloquem uma mão no rádio e outra na parte doente que eu vou curá-los! A velha coloca uma mão no rádio e outra nas costas. O velho coloca uma mão no rádio e outra no caralho, então a mulher diz:

- Seu idiota! Ele disse que vai curar os doentes, e não ressuscitar os mortos!

 

 

Estavam um menino e uma menina à beira da piscina, e o menino disse enquanto olhava para dentro dos calções:

- Ah! Ah! Ah! Eu tenho uma coisa no meio das pernas que tu não tens

E a menina responde:

- Hum! A minha mãe disse que com o que eu tenho no meio das pernas, posso conseguir quantos eu quiser!

 

 

Três amigos completamente bêbados, depois de uma noitada, dirigem-se a uma casa de putas para darem umas marteladas, ao chegar ao local as putas reparam que estão três homens para duas mulheres, até que uma delas diz:

- Não há problema, eles estão completamente bêbados, vamos nós as duas fazer o serviço, e damos uma boneca insuflável ao outro. E assim aconteceu. Quando acabaram, os três amigos começaram a comentar como tinha sido.

O primeiro:

- Oh pá a minha era bem boa, novinha, um pouco tímida, mas boa!

O segundo:

- A minha já devia ter os seus quarenta anos mas tinha cá uma experiência que só visto!

O último:

- Oh pá a minha era muito tímida não falava, não se mexia nem fazia nada, mas à primeira ferradela que eu lhe dei numa mama, saiu disparada pela janela!.

 

 

Um português, um inglês e um americano vão disputar um torneio de tiro ao alvo com arco. Metem uma maça em cima da cabeça de uma mulher e começam.

Vai o americano, manda a seta, acerta na maça e diz:

- I’m Guilherme Tell…

Vai o inglês, manda a seta, acerta na maça e diz:

- I’m Robin Hood…

Por ultimo, vai o português, manda a seta, acerta na cabeça da mulher e diz:

- I’m sorry…

 

 

Um padre passa por um homem e diz:

- Olá gato…

O homem vai para casa a pensar naquilo, pensa, pensa e torna a pensar e tem a seguinte conclusão:

- Gato? O gato gosta de leite! A vaca dá o leite! O homem da vaca é o boi! Boi? O filho da puta do padre chamou-me corno…

 

 

Estava uma velhinha, na varanda da sua casa, na cadeira de baloiço, a descansar com o seu gato, reflectindo sobre a sua longa vida, quando de repente uma fada surge na frente dela e lhe diz que tem direito a 3 desejos.

- Bem… - diz a velhinha - gostaria de ser muito rica!

* PUFF * a cadeira de baloiço transforma-se em ouro puro.

- Uau… - gostava de ser uma jovem e bonita princesa!

* PUFF * ela transforma-se numa mulher jovem e bonita.

- Bem… - gostaria que transformasse o meu gato num formoso príncipe!

* PUFF * e diante dela fica um jovem varão mais formoso que qualquer um poderia imaginar.

A ex-velhinha fica embasbacada a olhar para o ex-gato agora todo jeitoso.

E então, com um sorriso de derreter qualquer mulher, o rapaz aproxima-se e sussurra no ouvido da ex-velhinha:

- Tenho a certeza que agora estás arrependida de me ter mandado castrar…

 

 

- Mamã, posso ir acampar com o meu namorado, posso?

- Podes filha, mas tem cuidado. Vai haver uma altura em que ele vai querer saltar-te para cima. Não o deixes fazer isso que isso desonra a nossa família.

Na volta:

- Mamã, bem que me avisaste. De madrugada ele tentou saltar em cima de mim, mas eu fui mais rápida. Saltei em cima dele primeiro e desonrei a família dele.

 

 

O pai entra na sala e encontra a filha de 8 anos a fumar.

- Minha filha! Desde quando é que fumas?

- Desde o dia em que perdi a virgindade!

- Já perdeste a virgindade? Quando?

- Não me lembro, eu estava completamente bêbada!

 

 

Num bar de pulgas:

Estava uma pulga, numa noite quente de verão, a beber uma cerveja gelada ao balcão quando entra outra a tremer gelada de frio.

A segunda pulga dirige-se ao balcão e vira-se para o empregado:

- Dá-me um chá bem quente porque estou a morrer de frio!

Vai a primeira pulga, virando-se para a segunda, e diz:

- Então? O que é que se passa contigo pá? Uma brasa destas e tu assim?

A outra vira-se e desabafa:

- Eh pá, tu não queiras saber o que me acontece! Então não é que eu, para me sentir mais confortável, me instalei num bigode de um tipo, mas estava tão bem que adormeci. Ele vinha de mota, e ainda por cima sem capacete e, como vês, estou gelada.

A primeira pulga, já farta da história da outra, diz-lhe:

- És burra! Para a próxima faz como eu, aloja-te nas cuequinhas de uma mulher. Vais que é bem bom e não passas por isso, de certeza!

A outra pulga concordou e agradeceu o conselho.

Passaram-se duas semanas e volta a repetir-se a mesma cena, no mesmo bar, com as mesmas personagens.

A primeira pulga vira-se para a segunda e comenta:

- Olha lá! Tu és burra ou quê? Então não fizeste o que eu te disse?

A segunda pulga, já em desespero, confessa:

- Eh pá, tu nem queiras saber o que me aconteceu! Fiz como tu disseste, meti-me nas cuequinhas de uma gaja.

A outra interrompe-a:

- E então?

A pulga gelada continua:

- Aquilo estava muito confortável e até quentinho. Voltei a adormecer e quando dei por mim, vinha outra vez no bigode do gajo da mota!

 

 

Um tipo entrou no comboio, correu para janela e gritou para o casal que o acompanhara:

-Tchau, Paulo! Adorei o fim-de-semana! A tua mulher é óptima na cama, muito boa mesmo!

Intrigado, o passageiro do lado não conteve a curiosidade e disse:

-Desculpe. Não me leve a mal, mas o senhor disse mesmo ao tipo que a mulher dele é boa na cama?

O outro confessou baixinho:

-Sabe como é… Ela até que não é nada de jeito na cama, mas eu não quis ofender o Paulo.

 

 

Era mais um dia fulgurante na selva e estavam os elefantes a fazerem uma grande algazarra, rindo que nem perdidos.

O Rei leão na sua habitual sesta, levantou-se todo lixado da vida e foi ter com os elefantes pedindo explicações:

- Mas que é esta merda pá? Um gajo já não pode dormir?

E os elefantes responderam:

- Eh pá! Desculpa lá leão. É que estávamos aqui a ir ao cu aos macacos!

O leão interrompe:

- Eu também vou ao cu aos macacos, mas não é por isso que faço esta algazarra toda!

E os elefantes respondem:

- Está bem! Mas quando tu te vens eles não rebentam!

 

 

Um tipo, enrolado debaixo dos lençóis, começa a acariciar a mulher.

- Desculpa, querido, mas amanhã tenho de ir ao ginecologista e quero estar fresquinha.

O tipo vira-se para o lado, dá voltas na cama e volta à carga:

- Olha lá, e amanhã também tens dentista?

 

 

De regresso das aulas uma menina diz à mãe:

- Mamã, hoje conheci um menino que tinha uma coisinha entre as pernas que parecia um amendoim.

- Oh querida - diz a mãe babada com a inocência da criança - então porquê? Era assim tão pequenininho?

- Não, era salgadinho.

 

 

Um anão entrou na casa de banho de uma estação de serviço. Só estava um preto a mijar. Aí, o anão pediu ao preto:

-Por favor, podias pôr-me em cima de um banquinho para eu poder mijar?

O preto acedeu e colocou o anão em cima de um banco. Então o anão olhou para o lado e disse:

- Posso pegar um pouquinho nessa pichota? É que a minha é tão pequenina. É só para ver como é a sensação.

-Está bem - disse o preto - Mas só um bocadinho.

-Deixa-me pegar um pouquinho também no teu saco, o meu é tão pequenino. - insistiu o anão.

-Está bem, mas só um pouquinho - disse o preto.

-Isto é um assalto, disse o anão. Passa pra cá a massa toda senão salto do banco!

 

 

João Pedro, 4a classe

 

As rãs

Eu gosto muito de rãs. As rãs arrotam a noite toda. As rãs são mais pequenas que as vacas e mais grandes que um pintelho. As rãs não têm pintelhos.

As rãs põem ovos pela cona que depois dão rãzinhas pequenas.

Se as rãs tivessem pintelhos na cona arranhavam os ovinhos que são muito pequenininhos e as rãzinhas que estão lá dentro iam morrer porque entrava água pelas arranhadelas e elas morriam afogadas e porque quando são pequenas não têm patas e não sabem nadar.

Eu também ainda não tenho pintelhos mas já sei nadar.

Também ainda não tenho cona mas um dia vou ter muitas.

As rãs são as mulheres dos sapos. Os sapos não têm unhas por isso não podem coçar os colhões.

É por isso que eles andam com as pernas abertas a arrastar os colhões que é para os coçar. E quando se picam nos colhões os sapos dão saltos.

As rãs também dão muitos saltos, por isso têm a cona sempre aos saltos. Eu gosto muito de rãs. E gosto muito de sapos.

 

 

O João e o Miguel estão num bar, podres de bêbados, depois de terem bebido litros de álcool durante horas. Vira-se o João para o Miguel e diz:

- Meu amigo, já não aguento mais, vamos embora que eu quero ir para casa.

- Não! Nada disso! Ainda é cedo! Vamos tomar mais umas pingas, e depois vou levar-te a um bordel para a gente dar umas valentes fodas.

- Não sei se vou conseguir dar alguma foda da maneira que eu estou. Além disso, não me apetece muito.

- Mas o lugar que eu conheço é baratinho, não tem nenhuma boazona, mas dá para o gasto.

O João, já meio desconfiado do gosto do amigo, por noites anteriores, diz:

- Está bem, mais uma e vamos…

Assim, o Miguel pega no seu carro e toca a dirigir-se para o bordel. A meio do caminho, sente que não tem condições para dar nenhuma foda e decide ir para casa dormir e colocar o João a dormir no sofá para ele também descansar. Quando chegam, o Miguel ampara o João, que está muito mais bêbado do que ele, até à porta de casa, toca a campainha e atende a sua mãe. Quando a porta se abre, o João olha para a senhora, e pensando ainda que eles tinham ido para o bordel exclama:

- Caralho, que puta tão feia, gorda e velha!

- Eh! Pára aí! Esta é a minha mãe!

O João dá uma nova olhadela, para não perder a amizade, respira fundo e fala resignado:

- Pronto! Está bem! Mas só vou comê-la porque sou teu amigo!

 

 

Um rapaz estava na praia todo nu, naquela de apanhar um solzito. Foi então que viu uma menina que se aproximava. O rapaz tapou as partes íntimas com um jornal que estava a ler.

A menina perguntou-lhe:

- O que é que tens aí debaixo do jornal?

- É um passarinho - respondeu ele.

A garota foi embora e o rapaz adormeceu. Quando acordou, estava num hospital com tantas dores que mal conseguia pensar.

Quando o polícia lhe perguntou o que tinha acontecido, o rapaz respondeu:

- Não sei, estava deitado na praia e uma menina perguntou-me qualquer coisa sobre as minhas partes íntimas e a próxima coisa que sei é que estou aqui.

O polícia voltou à praia, encontrou a menina e perguntou-lhe:

- O que fizeste com o rapaz que estava aqui deitado todo nu?

Depois de uma pausa, a menina respondeu:

 - Com o moço? Nada. Eu só estava a brincar com o passarinho, mas o malandro cuspiu-me. Então eu torci-lhe o pescoço, parti-lhe os dois ovinhos e deitei fogo ao ninho!

 

 

- Querida! Prepara-te que vais levar 3 fodas!

 - Já vens bêbado outra vez!

 - Não! Trago é 2 amigos!

 

 

P: Porque é que Deus deu o pénis ao homem?

R: Era a única maneira de calar a boca às mulheres!

 

 

Um gajo vai a uma pizzaria agarrado a duas gajas e pede duas pizzas.

Empregado:

- São familiares?

- Não! São putas, mas têm fome...

 

 

Certo dia perguntaram ao Sol porque não casava com a Lua, tão linda que ela era.

Ao que ele respondeu:

- Eu? Casar com essa gaja que, só porque é Nova, anda de Quarto em Quarto e de vez em quando aparece Cheia?

De igual modo perguntaram à Lua porque não casava com o Sol.

Esta, já habituada à má-língua do Sol, respondeu prontamente:

 - O quê, casar com aquele “frouxo” que leva 12 horas para se pôr e outras 12 para se vir?

 

 

O Rei Artur estava pronto para ir para as Cruzadas. Antes de partir, vai ver o mago Merlin e pede-lhe para fabricar o melhor cinto de castidade que pudesse. Isso para que nenhum cavaleiro atentasse contra a virtude de sua linda esposa. No dia seguinte, Merlin volta com um cinto que, contrariamente a todas as expectativas do Rei Artur, possui um buraco exactamente onde não deveria ter.

- Merlin! - berra o Rei - Estás a gozar comigo?

- Observe, Majestade - diz o Mago, mostrando uma pequena guilhotina com uma lâmina afiada - ela funciona assim que se introduz algo no  buraco.

- Excelente! Realmente excelente. Traga-me a Rainha, para que possamos instalar a geringonça!

Três anos depois, o Rei Artur volta das Cruzadas. Ao chegar a Camelot, convoca todos os cavaleiros:

- Vamos lá! Baixem as calças, é o exame médico!

Todos os cavaleiros alinham-se em frente ao Rei e baixam as calças.

Para horror e estupefacção do Rei, todos estão amputados! Todos, excepto o fiel Lancelot.

O Rei, vendo que seu fiel amigo não o traiu, agarra-o pelos ombros e diz:

- Lancelot, estou orgulhoso de ti! Enquanto nenhum dos outros resistiu à tentação de dormir com a Rainha, conseguiste domar os teus impulsos.

Por isso, concedo-te o que quiseres. Faz a tua escolha.

Mas Lancelot ficou mudo.

- Que foi, Lancelot? Perdeste a língua?

 

 

O Joãozinho estava na conversa com um colega vizinho:

- O meu pai é melhor que o teu! - desafia o colega.

- É o caralho! – responde o Joãozinho.

- O meu irmão é melhor que o teu!

- É o caralho!

- A minha mãe é melhor que a tua!

- Bem… Isso talvez! O meu pai também acha o mesmo!

 

 

A professora entra na sala de aula e depara-se, horrorizada, com a seguinte inscrição no quadro negro: “O Joãozinho tem o Pau Grande!”.

Imediatamente ela apaga a inscrição e, sem fazer nenhum comentário, começa a aula.

No dia seguinte, ao entrar na sala novamente, a mesma inscrição em letras garrafais: “Joãozinho tem o Pau Grande!”.

Pela segunda vez, ela apaga os dizeres, sem fazer nenhum comentário.

No outro dia, a história repete-se e no outro e no outro e no outro. Até que um dia ela resolve colocar à prova a veracidade daquela mensagem. Quando toca a campainha a avisar que a aula terminou ela pede para todos saírem menos o Joãozinho. Tranca a porta, tira a roupa e viola o menino.

Dia seguinte, ao entrar na sala, ela lê no quadro: “A Propaganda é a Alma do Negócio!”.

 

 

A miúda acompanhou o avô ao barbeiro. Enquanto o barbeiro fazia o seu trabalho, a garota comia um doce, pelo que o barbeiro lhe disse:

- Ainda vais ter pêlos no teu docinho!

- Eu sei. E também vou ter mamas grandes!

 

 

Um indivíduo surpreende a mulher na sua cama com outro. Vai buscar a caçadeira e, quando já ia a meter uma bala em cada um deles, parou para pensar e foi percebendo como a sua vida de casado havia melhorado nos últimos tempos. A esposa já não lhe pedia dinheiro para comprar comer, aliás, nem para comprar vestidos, jóias e sapatos, apesar de todos os dias aparecer com um vestido novo, uma jóia nova ou uma sandaliazinha da moda. Os filhos mudaram da escola pública do bairro para uma escola privada na zona Sul. Sem contar que a mulher trocou de carro, apesar dele estar há quatro anos sem aumento e ter cortado a mesada dela. E o mercado então, nem se fala, eles nunca tiveram tanta fartura quanto nos últimos meses. E as contas de luz, água, telefone, internet, telemóvel e cartão de crédito, já há muito tempo que ele nem ouvia falar delas. O caso é que a mulher dele era mesmo um avião, uma mistura de Tiazinha com Vera Fisher, temperada no caldo da Feiticeira. Coisa de louco. Guardou a arma e foi saindo devagar, para não atrapalhar os dois. Parou na porta da sala e disse para si mesmo:

- O gajo paga o aluguer, o supermercado, a escola das crianças, as contas da casa, o carro, o shopping, todas as despesas e eu ainda faço amor com ela todos os dias...

E fechando a porta atrás de si, concluiu:

- Bolas! O corno é ele!